Romero Rocca requer do Executivo mais informações sobre valores de cobrança de IPTU no bairro Garcia

Na tribuna livre, durante a 10ª Sessão Ordinária, vereador também cobrou da Prefeitura investimentos no local; Fernando Ciaramello (PSDB), Robinho (Podemos) e Jaime Fava (PSD) também assinaram o requerimento apresentado em torno do assunto

Publicado em: 10 de maio de 2019

Durante a 10ª Sessão Ordinária, que aconteceu no Legislativo charqueadense nesta terça-feira (07), o vereador Romero Rocca (PSDB), junto de Fernando Ciaramello (PSDB), Robson Obrownick (Podemos) – o Robinho e Jaime Fava (PSD), encaminhou ao Executivo Municipal o requerimento nº 26/19, em que reivindica informações de valores de cobrança de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) no bairro Garcia, bem como investimentos no local.

 

A propositura foi motivada devido à recente visita de Rocca ao bairro para acompanhamento de demandas. Segundo o vereador, a comunidade questiona quais são os fundamentos para a cobrança de valores altos à título de IPTU, visto que o local em questão ainda não dispõe de pavimentação asfáltica, iluminação em algumas ruas, calçadas, além de outros investimentos em infraestrutura.

 

“O Garcia é um bairro carente, que carece de infraestrutura e de melhorias, e agora a ‘grande’ reclamação dos moradores é o valor do IPTU”, disse o parlamentar na tribuna livre. “Tem IPTU no valor de R$1.100,00, maior que na área central, que é toda estruturada. E tem alguns IPTUs contraditórios também, que cobram valores referentes à zona urbana, mas a coleta de lixo consideram como zona rural”, acrescentou.

 

No requerimento encaminhado à Prefeitura, Rocca, junto dos demais vereadores que assinaram a propositura, querem saber qual é a base de cálculo empregada pela Administração para a cobrança do referido imposto; pedem informações sobre investimentos que o Executivo pretende realizar no local e também qual seria o prazo para que possíveis melhorias sejam executadas.

 

“A gente precisa ver com a Administração a possibilidade de rever essas situações apresentadas, porque as pessoas não vão conseguir pagar o valor que está, isso é um fato. E pagar um valor desse onde não tem calçada, não tem pavimento, não tem praticamente nada fica difícil”, considerou. “Precisamos fazer urgentemente uma reunião (com à Prefeitura), com um representante do bairro, porque isso é importantíssimo, não podemos prejudicar as pessoas que não têm condições”, concluiu.


Publicado por: Alinne Schmidt

Cadastre-se e receba notícias em seu email